Produção de conteúdo com uso de dados

A acesso do jornalismo à ferramentas que possibilitam o uso de dados tem se tornado cada vez mais frequente no cenário das redações atualmente, como falamos na publicação sobre JDG. O advento dessa tecnologia apresenta novidades na exposição de conteúdo e facilidade na coleta de informações em diversos setores jornalísticos.

O uso das ferramentas

Quem não se lembra do trágico episódio ocorrido na França, em janeiro de 2015? O atentato terrorista ao jornal satírico Charlie Hebdo, em Paris, deixou 12 mortos e entre eles os principais cartunistas do semanário. Revindicado pelo grupo extremista Al Qaeda, o ataque foi um tiroteio no escritório do jornal com o objetivo de se vingar dos autores de charges que faziam piada com o profeta Maomé, considerado o mensageiro de Deus pelo Islamismo.

A TWIST fez o monitoramento da repercussão midiática na época do ataque e desenvolveu o painel #JeSuisCharlie, com uma análise que você confere aqui:

Na imagem, cada ponto representa uma notícia sobre o assunto em destaque, associados pela cor.

Os pontos coloridos indicam o deslocamento dos terroristas na França, ao fugir da polícia. Os termos em destaque na nuvem de palavras foram os mais mencionados nas notícias sobre o atentado.

Indicação dos pontos de acontecimentos mais importantes naquele momento.

Aplicação do JGD

Um ano após o ataque, a equipe do jornal Folha de S. Paulo fez uma matéria especial para relembrar o episódio e homenagear as vítimas. A edição especial utilizou mapas para explicar o crime e mostrar onde tudo aconteceu. Além disso, a notícia fala um pouco sobre as vítimas, responsáveis e sobreviventes, e ilustra, através de um painel, o começo das ações terroristas em ordem cronológica.

A TWIST continua por aqui levantando dados sobre todos os acontecimentos mais importantes do Brasil e do mundo! Acompanhe com a gente!

Se inscreva na nossa newsletter