Você pode prever o futuro com Big Data

Imagine antecipar em meses o comportamento da economia ou, ainda, de pessoas. Saber com exatidão quando algum setor entrará em crise, se uma moeda vai estar em alta, quanto tempo alguém ficará em uma empresa, quais as chances de um produto ser bem aceito entre o público.

A análise preditiva de Big Data permite tudo isso e ainda mais. A prática identifica padrões e prevê tendências com alta precisão, a partir de dados e uma série de técnicas, como Machine Learning. Com isso, avaliar um cenário complexo, hipóteses e situações de risco se torna muito mais seguro e eficaz.

Apesar de não ser tão interessante como uma bola de cristal, o método pode ajudar líderes e profissionais em cargos decisórios a aumentarem significativamente as chances de acertar em suas escolhas, afinal, têm em mãos embasamentos mais sólidos que a intuição.

 

Casos de sucesso com a análise preditiva

Um exemplo interessante é o do time de beisebol estadunidense Oakland Athletics. O gerente Billy Beane se utilizou dos dados para descobrir o potencial desempenho de jogadores e, com isso, tirou a equipe de uma crise severa. O caso, inclusive, inspirou o filme “Moneyball”, que está na nossa lista de 5 filmes sobre Inteligência Artificial que você precisa assistir.

A Staples também conseguiu otimizar resultados com o apoio da análise preditiva. A multinacional, da área de materiais escolares e de escritório, pode antever as vendas diárias das 4 semanas seguintes e notar que a saída de produtos varia de acordo com o local das lojas. Com isso, a marca passou a aperfeiçoar promoções e reduzir 25% dos custos nessa linha.

Outro caso interessante é o da Pitt Ohio. Após uma ampla pesquisa e aplicação da prática, a transportadora passou estimar com 99% de precisão o tempo gasto por seus motoristas até o local da entrega. Com isso, garantiu aumentos em pedidos repetidos e reduziu o risco de perder clientes.

 

Precisamos explorar melhor o Big Data

Os dados são como pedras de diamante: se lapidados, podem render fortunas. Mas, todos os dias, são gerados 2,5 quintilhões de bytes ao redor do mundo e, desse número, apenas 1% é aproveitado. Quem se faz bom uso deles e pensa fora da caixa tem mais chance de garantir bons resultados, como vimos em alguns casos acima - e há outros tão interessantes quanto.Quer saber mais sobre como usar a análise preditiva de Big Data a seu favor? Fale com a gente. Aqui na Twist, somos experts em desenvolver e aplicar tecnologias que podem te ajudar.  



 

Se inscreva na nossa newsletter