Internet das coisas e suas funcionalidades

A internet das coisas (Internet of things - IoT em inglês) não é um assunto novo, nós mesmo aqui no blog já tratamos sobre. Rapidamente para relembrarmos, o termo surgiu em 1999, proposto por Kevin Ashton do MIT, e é a tendência de que existam cada vez mais objetos conectados à internet, o que muda completamente o modo como as pessoas interagem com o mundo à sua volta.

Mas não estamos falando só sobre os objetos que já estamos acostumados a lidar no dia a dia e que tem acesso à rede, como smartphones, tablets ou computadores, é algo muito maior que isso. São, por exemplo, geladeiras, fogões, cortinas, carros, interruptores e etc, combinados à sistemas automatizados que coletam informações, as analisam e criam ações de resposta de acordo com a necessidade, tudo isso em tempo real. É a expansão da conectividade.

O que diferencia esses objetos dos demais é a capacidade de geração de dados por meio de sensores ou de respostas aos dados recebidos, ou seja, eles devem ser capazes de se interagir fisicamente com a rede. Eles geram muitas informações detalhadas e é justamente a Big data que permite que essas sejam armazenadas, combinadas com outras fontes de dados e atinjam um bom desempenho. Um exemplo são as lojas que implementaram sensores para saber o volume de clientes que recebem por dia, isso gera um "data base" que podem ser armazenado, processado e por conseguinte gerar insights.

Novidades no mercado

Os avanços são diversos desde o nosso último post em 2016, por isso vamos trazer aqui alguns exemplos de IoT que podem e muito facilitar a vida de nós usuários seja na parte pessoal quanto no trabalho e claro nos negócios.

-A Nike lançou uma pulseira inteligente chamada Nike+ FuelBand SE, que ajuda os usuários a entenderem sua saúde, ela registra os movimentos e os armazena em um aplicativo de celular. A partir disso são geradas avaliações sobre o desempenho das pessoas nas atividades físicas praticadas.

-Se você tem um sono ruim vai adorar essa invenção, a NeuroOn é uma máscara que mede o movimento dos olhos, ondas cerebrais, tensão muscular e etc, que ajudam a entender a melhor forma de acordar e o tempo ideal de sono.

- A Tesla Motors é uma empresa de veículos que fabrica carros elétricos de alta performance, que contém diversos sensores que fazem um check-up completo nos automóveis e mostram dados de geolocalização e ainda tem uma central que é capaz de dizer ao carro, em tempo real, se as ruas estão congestionadas. Além disso tudo, esses carros também já estão preparados para dirigirem sozinhos.

-A Linen Technology Tracking criou etiquetas RFID, que tem como objetivos serem integradas as toalhas de hotel e rastreá-las para evitar que os hóspedes as robem. Segundo pesquisas a solução já rendeu uma economia de US$ 15 mil em apenas um hotel. Antes da adoção do projeto 4 mil toalhas eram levadas sem permissão por mês. Após o início  o número caiu para 750.

- A Skully Hemelts lançou um capacete inteligente e conectado que utiliza a chamada Heads-Up Display (HUD), tecnologia que sugere que se tenha as mãos livres durante o uso de qualquer dispositivo. Ele possui uma micro tela projetada na parte inferior do visor onde é possível ver imagens da câmera traseira do capacete (que pode girar 180 graus) e orientações do GPS que se conecta com o celular. Completamente integrado via Bluetooth, ainda permite enviar mensagens de texto, fazer e receber ligações telefônicas e controlar o tocador de músicas usando apenas os seus recursos.

Casas inteligentes

São lares que utilizam a internet das coisas, sistemas modernos, é possível por exemplo a economia de energia elétrica através de sensores integrados ao sistema de refrigeração que controlam a temperatura da casa. Diminui-se assim esse consumo, pois o mecanismo recebe informações sobre a previsão do tempo, ou seja, se esfria o ar condicionado diminui a potência. Há um produto chamado Nest que faz isso em tempo real e gera uma economia de 30%.

-Há também como controlar remotamente todos os aparelhos eletrônicos da casa, você pode desligar a luz de um local sem necessariamente estar nele. Diversos fornecedores disponibilizam um tipo de adaptador sofisticado para você plugar na tomada e ligar a sua TV, micro-ondas, computador, luminárias, etc. Este adaptador é conectado com o seu celular via WiFi para que você gerencie todos os seus aparelhos remotamente através do APP ou comando de voz.

Cidades inteligentes

Podem utilizar dispositivos como: iluminação inteligente de espaços públicos (monitorando o consumo de energia em postes e enviando notificações para a prefeitura sobre problemas e necessidade de manutenção da rede de luz), controle e recolhimento de lixo (notificação de onde existe resíduo a ser recolhido e acompanhamento da coleta, isso gera: economia de combustível dos caminhões e ruas mais limpas), monitoramento de poluição. Adotar a IoT também pode gerar a facilitação da mobilidade urbana: sistemas de trânsito com informações em tempo real sobre horários e localização de transporte público e seus pontos de acesso,informações sobre acidentes, engarrafamentos, entre outras ocorrências frequentes para otimização de fluidez de vias e melhoria da segurança.

Há muito ainda que se esperar sobre a IoT, fique ligado aqui no blog da Twist para mais atualizações.

Se inscreva na nossa newsletter