ENEM 2019: a repercussão do ENEM e do INEP nas redes

O prazo para inscrição no ENEM se encerrou na última sexta-feira (17/05). Acompanhamos na última semana, com o uso da ferramenta Twist Discover, a repercussão midiática do ENEM e do seu órgão responsável, o INEP. Este é um instituto relacionado ao MEC (Ministério da Educação) que tem como função, além de coordenar o ENEM, avaliar os sistemas educacionais e a qualidade da educação no Brasil. Alguns acontecimentos significativos para o tema (como o prazo do período de inscrições para o exame e a demissão do presidente do INEP) se deram neste intervalo de tempo, tornando relevante a análise da repercussão dos termos “enem” e “inep” em plataformas de notícia brasileiras e no Twitter. Foram 449 notícias e mais de 83 mil tweets analisados. O intervalo durante o qual coletamos dados sobre esse conteúdo foi o dos dias 13 a 20 de maio.

 

Assuntos

O principal assunto foram as inscrições do Enem, com 208 notícias relacionadas. O termo “prazo” estava presente em 88 títulos de reportagem, relembrando os interessados de se inscreverem. Já a palavra “milhões” começou a ganhar destaque a partir do dia 18, dia de divulgação do número de inscritos: 6,3 milhões. Os veículos que mais produziram conteúdo sobre o Enem foram o G1, o Globo e o R7.

Ao observarmos os principais assuntos do G1, conseguimos enxergar uma variação grande de assuntos. A principal foi “inscrições”, mas outras palavras relevantes para a análise foram demissão, cargo e Bolsonaro, por exemplo. Já no R7, terceira plataforma que mais publicou sobre o Enem, o termo é ainda mais expressivo proporcionalmente e não se vê menção à demissão do presidente do INEP. Isso demonstra que veículos diferentes podem pautar seus assuntos de maneira diferente, mesmo em momentos de grande repercussão de temas específicos.

 

Bolsonaro

“Bolsonaro” foi assunto presente nas publicações relacionadas ao Enem durante esse período. Dentre as analisadas, foram 93 notícias mencionando-o. No Twitter não foi diferente: um tweet que viralizou consideravelmente, com mais de 39 mil retweets, foi um que satiriza o comentário que o presidente fez em relação às manifestações do dia 15. Os atos foram organizados em resposta à recente decisão do governo de contingenciar verbas da educação pública, anunciada no final de abril. Durante uma viagem a Dallas, nos Estados Unidos, Bolsonaro afirmou que “se perguntar a fórmula da água, não sabe”, referindo-se aos manifestantes que saíram às ruas nesse dia. Podemos entender que a repercussão dos tweets sobre o assunto está relacionada aos acontecimentos do dia 15 pois, segundo o Twist Discover, os termos “fórmula” e “água” apareceram com frequência ao lado de hashtags como #tsunamidaeducacao e #naruapelaeducacao, utilizadas em apoio às manifestações.

Outro tópico frequente foi a declaração do ex-presidente do INEP sobre Bolsonaro não ter pedido para ler ou examinar a prova, algo que disse que faria após criticar uma das questões do último ENEM. Ela tinha como tema principal o pajubá, que é o vocabulário LGBT do português brasileiro. Bolsonaro afirmou, na época, que esse tipo de questão não existiria no exame deste ano: “nós vamos tomar conhecimento da prova antes”. Com o Twist Discover, identificamos que a comunidade LGBT foi uma das entidades mais relevantes relacionadas às notícias analisadas durante o período.

 

A demissão do presidente

O dia de maior repercussão desde o início da análise foi o dia 17: um dia após a demissão do presidente do INEP, Elmer Coelho Vicenzi. Pudemos identificar que nesse momento houve um pico no gráfico que representa a evolução do volume de menções aos termos analisados. 29% de todo o conteúdo coletado foi publicado somente neste dia. Apesar de boa parte da repercussão ter vindo de notícias sobre o final do prazo de inscrições para o ENEM, mais de 60% das publicações dos veículos de mídia no dia 17 continham as palavras “demitido” ou “demissão”. No Twitter, foram mais de 7 mil tweets relacionados aos mesmos termos.

 

Termos negativos

Ao analisarmos as palavras mais mencionadas em tweets relacionados ao INEP, pudemos perceber que um dos principais termos negativos foi “confusão”. Ele apareceu em tweets que se tornaram relevantes abordando o fato do presidente ter sido demitido, por vezes relacionado à declaração de Fernando Haddad ("é crime") sobre a ameaça de quebra do sigilo a informações de estudantes. Grande parte das notícias sobre a demissão abordavam esse mesmo assunto. “Crime”, “dados” e “sigilosos” também foram termos recorrentes. Eles apareceram, em grande parte das vezes, relacionados à demissão.

O termo mais relevante de todos nas notícias, porém, foi “inscrições”. Com a chegada do prazo de inscrição do Enem, no dia 17, a repercussão do exame cresceu em volume para lembrar aos interessados quais são os primeiros passos para a realização da prova. O prazo de pagamento da inscrição (dia 23) também virou assunto, além do número de inscritos. A partir do dia 20, a repercussão se voltou em parte para o Encceja. Este foi o dia em que começaram as inscrições para a prova, que é utilizada para a certificação dos ensinos fundamental e médio para brasileiros que não se graduaram formalmente.

Essas são algumas das informações extraídas sobre a repercussão do ENEM utilizando o Discover. A plataforma do Twist Discover foi criada para coleta, processamento e análise de dados em tempo real. Se quiser saber como você pode ter uma visão situacional completa sobre um assunto que repercutiu na mídia, entre em contato com a gente!

Se inscreva na nossa newsletter