Anitta, Drake e Jack Black: a repercussão do Rock in Rio 2019

Entenda como foi a repercussão de um dos maiores festivais de música do mundo nos principais canais de notícias e no Twitter

 

Em sua oitava edição em terras cariocas e contando cada vez mais com novos palcos e espaços a fim de atrair diferentes públicos, o Rock in Rio 2019 levou 700 mil pessoas, em sete dias diferentes, ao Parque Olímpico do Rio de Janeiro. O festival, costumeiramente, é circunscrito por toda uma questão midiática que o põe no centro da opinião pública.

Desse modo, não se comentam só os shows, mas detalhes relativos à própria transmissão do festival, à sua organização e a seus patrocinadores. Assim como em 2017, utilizamos o Discover e monitoramos veículos de notícias e tweets não só de todos os dias do festival, mas também dos dias que o antecederam e o sucederam, além de seus dias de intervalo. Venha ver conosco o que conseguimos descobrir!

 

Antes do festival

Entre os dias 23 e 26 de setembro, antecedendo o festival que só teve início no dia 27 de setembro, pudemos acompanhar as expectativas que vinham sendo criadas, principalmente pelos artistas que tocaram em outras cidades antes do Rock in Rio. Atrações como Weezer, Dave Matthews Band, Bon Jovi e Jessie J foram algumas das que se apresentaram em São Paulo, por exemplo.

O potencial de viralização do festival ultrapassou os fãs de música e atingiu os próprios artistas que se apresentaram nele. O ator e vocalista do Tenacious D, Jack Black, postou, em seu Instagram, um vídeo do baixista potiguar Juninho Bass Groovador tocando um remix da música Smells Like Teen Spirit do Nirvana e pediu que seus fãs o colocassem em contato com ele.

Um dos shows mais esperados no Twitter era o do canadense Drake. Como era sua primeira vez no Brasil, o que já deixava suficientemente curiosos os fãs do artista, que não sabiam o que esperar de seu show. Isso foi o suficiente para que ele se tornasse um dos principais nomes da nuvem de palavras do Discover.

 

Durante o primeiro final de semana do festival

 

O evento começou, enfim, quase seis meses após a venda geral dos ingressos, na sexta-feira dia 27 de setembro. O tão comentado show do Drake foi o que encabeçou a noite. Ao longo dos três dias que formaram essa primeira semana, o cantor foi o nome que mais se destacou nas nuvens de palavras das notícias e dos tweets, não necessariamente pelos motivos esperados.

Faltando pouco para a transmissão do show na internet e na televisão, o artista a vetou sem dar muitas explicações. Seus fãs, que o aguardavam em casa, reagiram mal. Ainda, conseguiu fazer com que o nome da cantora Rihanna, um antigo desafeto, virasse também uma das palavras mais comentadas, já que um antigo show seu no Rock in Rio foi transmitido para que a programação planejada não ficasse com um vão muito grande.

Aqueles que estavam lá ainda reclamaram do atraso do cantor. Reações foram despertadas até pelo Boninho, diretor da TV Globo, que reclamou do comportamento do cantor nas horas que antecederam sua performance, inflamando o debate no Twitter. No fim, foi a segunda atração mais comentada desta edição, com 42 mil tweets relacionados a ele.

Bebe Rexha, que se apresentou pouco antes do cantor, foi uma das atrações mais comentadas desse final de semana e, analisando o que foi dito a seu respeito, conseguiu ter uma recepção mais calorosa do que o próprio show principal. No entanto, houve críticas à estrutura do festival por parte de quem estava lá.

Sendo o primeiro dia do evento, com tantas expectativas a serem cumpridas, o dia 27 acabou sendo o mais comentado dessa primeira semana, com o volume de notícias e tweets atingindo seu pico no dia seguinte, com 217 e 11863 publicações, respectivamente. Por mais que os dias seguintes não tenham sido tão comentados, ainda assim houve certa movimentação nas redes.

O prometido encontro entre Jack Black e Junior Bass Groovador aconteceu no sábado dia 28. Por humor ou não, o acontecimento também ficou marcado como um dos principais dessa semana e, segundo muitos usuários do Twitter, levou visibilidade a um músico que, por barreiras geográficas, não havia conseguido atingir grande sucesso.

Jessie J, que fechou o Palco Sunset do domingo dia 29, surge em 23.6 mil tweets, consolidando-se como uma das atrações mais comentadas de todo o festival. Com uma base de fãs fiéis elogiando, muitos questionavam o casting do evento, dado que muitos julgaram que ela mereceria estar no Palco Mundo.

 

No intervalo do festival

 

Após o show do Bon Jovi no domingo dia 29, houve uma pausa na programação do festival, que só seria retomada no dia 3. Os dias 1 e 2 de outubro foram pouco movimentados, mas o dia 30 de setembro ainda viu a publicação de balanços da primeira semana, além de impressões sobre o show da banda Bon Jovi, que já se apresentava pela terceira vez em um Rock in Rio.

Por outro lado, parece que os comentários sobre este show ficaram bem mais restritos às notícias do que ao Twitter, uma vez que, por lá, pouco se comentou. O grande destaque da nuvem de palavras ficou com a cantora Iza, mencionada 32.8 mil vezes, cuja apresentação com a Alcione aconteceu também no domingo. Inclusive, de todas as apresentações transmitidas pela televisão, essa foi a mais comentada, com a hashtag #izaealcionenomultishow atingindo 27 mil ocorrências.

 

Durante o segundo final de semana do festival

Iniciando os trabalhos agora em uma quinta-feira, o Rock in Rio volta no dia 3, em uma noite encabeçada pelo Red Hot Chili Peppers, seguindo até o encerramento no dia 6, que ficou a cargo do Muse. No entanto, nenhuma das duas atrações teve proeminência em nenhuma das nuvens de palavras.

No Twitter, o destaque ficou por conta dos shows da banda Panic! at the Disco, que se apresentou no mesmo dia que os Chili Peppers, e da Anitta, que abriu o Palco Mundo no sábado dia 5 e acabou sendo a atração mais comentada de todo o festival, com 60 mil tweets falando sobre ela.

Numericamente, as bandas do dia destinado ao heavy metal, que ficou de fora na edição de 2017 e dessa vez foi o segundo a esgotar, com todos os ingressos vendidos em questão de poucas horas, também foram  bastante mencionadas. Já é a quarta vez que o Iron Maiden se apresenta no evento, mas os fãs também mostraram apreço pelo Slayer, em turnê de despedida, e pelo Helloween.

A P!nk, headliner do sábado, fecha o ranking dos artistas mais comentados, com 20.3 mil comentários no Twitter. Ainda houve a hashtag #pinknomultishow, que teve 16 mil tweets apenas para ela.

 

Após o festival

Mesmo que tenha sido costumeiramente interpretado como um palco secundário, o Sunset foi bastante comentado nessa edição. Já havia o desejo explícito por parte do curador Zé Ricardo de torná-lo cada vez mais próximo do que é considerado como um palco principal. Pela quantidade de vezes em que artistas como a Iza e a Jessie J foram comentadas, o festival conseguiu o que queria. Também houve apostas em nomes como Seal, que já havia se apresentado no Palco Mundo em 2015, e o King Crimson, em sua primeira passagem pelo Brasil, após cinquenta anos de atividade.

Apesar disso, o palco protagonizou uma das maiores críticas de fãs, que ainda não o encarava dessa maneira e por vezes questionou a organização do festival quanto a artistas que nele se apresentavam e que julgavam que se encaixariam melhor no Palco Mundo.

A estrutura, a julgar pela repercussão no Twitter, não sofreu as mesmas reclamações que em anos anteriores. Sobraram elogios até para a organização dos banheiros e das filas do evento, aparentemente mais controladas.

 

Em mais de uma ocasião, escrevemos sobre o monitoramento de eventos aqui no site. Se você acha que a Twist tem as soluções de monitoramento apropriadas para seu negócio, fale conosco! Além disso, continue acompanhando nosso blog e assine nossa newsletter para mais aplicações da ciência de dados!

 

 

 

 

 

Se inscreva na nossa newsletter