Quarentena: uma startup se adaptando ao home office

Saiba como a Twist tem se mantido ativa e recrutado novos colaboradores em meio à pandemia

 

Uma das maiores dificuldades que vêm sendo enfrentadas desde o início da quarentena e do isolamento social por conta da Covid-19 é a manutenção dos índices de produtividade das empresas. A falta de uma rotina estruturada e dos laços criados dentro do ambiente de trabalho têm se mostrado questões relevantes para muitos funcionários e empregadores.

Para a Twist, apenas adotar as práticas de home office ― o que fizemos na hora correta, como forma de preservar a saúde da nossa equipe ― não seria o suficiente. Um dos ingredientes principais da nossa rotina sempre foi a interação constante e o bom relacionamento entre os nossos colaboradores, e isso não poderia ser sacrificado de forma alguma.

Para agregar ao momento, contamos ainda com a presença de dois novos estagiários: o Victor Oliveira, do curso de Ciência da Computação da UFRJ, e o Matheus Moreno, do curso de Engenharia Eletrônica também da UFRJ. E, é claro, não poderíamos abrir mão de uma boa recepção a eles.

O Victor, aliás, estava apenas no terceiro dia dentro da Twist, ainda durante seu onboarding ― o momento em que recém-ingressados são apresentados ao contexto e práticas da empresa ― quando recebeu a notícia de que suspenderíamos nossa programação presencial. “Após alguns dias me adaptando e com o apoio dos meus colegas de trabalho tem sido possível superar a maior parte dos desafios”, disse ele. “Foram diversas chamadas de áudio com o objetivo de configurar o ambiente no meu computador e mais outras para tirar dúvidas de códigos, funcionalidades e procedimentos. Foi deixado claro que qualquer dúvida deveria ser perguntada e meu time sempre está disponível para chamadas de voz.”

A importância de manter a comunicação interna da empresa a todo vapor é crucial para nós e isso foi, felizmente, sentido pelo Victor. “O foco da empresa em manter a comunicação forte durante a quarentena ajudou muito na minha adaptação. Eu gosto bastante das reuniões de sincronização semanais, nas quais toda a empresa está presente e é apresentado o que cada um fez durante a semana, pois permitem saber em que pé está cada projeto e ter todos juntos em uma única chamada tem ajudado na integração.”

Por outro lado, o onboarding do Matheus foi feito integralmente de forma remota. “A comunicação com o resto da equipe inevitavelmente fica limitada, mas a solicitude do pessoal tornou minha recepção bem acolhedora, mesmo com a distância física.” A ideia de estar trabalhando de home office também não o assusta muito ― disse que o conforto de casa o ajuda a manter a disciplina e o foco para a realização de tarefas.

Para além da pesquisa e do ensino, o outro pilar da atividade universitária são os projetos de extensão, que funcionam como um pacto entre a academia e a comunidade exterior a ela, por meio dos quais os estudantes conseguem pôr em prática o conhecimento aprendido ao longo das aulas.

Desde o último ano, a Twist, em parceria com a Escola de Comunicação da UFRJ, disponibiliza vagas para alunos extensionistas. Além das atividades práticas, há uma carga conteudista, onde expomos as interseções entre a Ciência de Dados e a Comunicação Social. Enquanto tivemos uma primeira leva de alunos que foram integrados às atividades presenciais da empresa ao longo de 2019, os que estão entrando nesse primeiro semestre de 2020, bem como o Matheus, já foram introduzidos remotamente às suas atividades.

De acordo com Felipe Grael, um dos sócios fundadores da Twist, a experiência tem se mostrado boa. “Em casa, todos conseguem ajustar as rotinas do modo que julgarem melhor, traçando divisões mais claras entre o tempo de trabalho e o tempo de estudo e lazer, por exemplo. O que eu achei que fosse ser um desafio acabou sendo, na verdade, mais tranquilo do que o esperado”, afirmou, ainda defendendo que não sejam perdidas as boas práticas de comunicação interna.

No fim, fazer parte de uma startup é isso: devemos nos adaptar às circunstâncias e buscar novos caminhos sempre. Continue acompanhando nosso blog e assine nossa newsletter para mais atualizações do mundo da Ciência de Dados. Se quiser nos conhecer melhor, fale conosco!

Se inscreva na nossa newsletter