Inovação e Ciência de Dados: por onde começar

Entenda como têm início as melhores iniciativas de inovação da indústria e como seu negócio pode ser impulsionado com o uso dos dados certos

 

Coletar dados de diferentes fontes e utilizá-los da maneira correta é o que impulsiona iniciativas de inovação em diferentes setores hoje. A demanda por novidades e soluções empresariais criativas só cresce, ao passo que ferramentas de monitoramento e análise de dados se mostram cada vez mais relevantes para modelos de governança corporativa. É o que afirma artigo da Consultancy.Eu, plataforma europeia de consultoria financeira.

Da prevenção de fraudes, passando pela fidelização de clientes e otimização de processos, diversas tecnologias guiadas por dados prometem verdadeiras revoluções hoje. Graças a isso, não é de se espantar que setores como a autoindústria, o financeiro e até mesmo o varejo estejam investindo progressivamente mais na aplicação e no desenvolvimento das ferramentas corretas e na contratação de cientistas de dados.

Por mais que todos eles estejam ansiosos para aproveitar o máximo de seus bancos de dados e estejam se empenhando para alavancar e implementar tecnologias voltadas para o Big Data, a qualidade e a gestão desses dados, ainda que decisivas, seguem sendo tópicos muito pouco levantados. Por onde começar para tirar a inovação do papel, então? Acompanhe conosco:

Antes de tudo, o gerenciamento de dados

Assim como toda construção começa com um projeto robusto de arquitetura, o gerenciamento também é a base de qualquer inovação data-driven. É fato que hoje se investe maciçamente em soluções voltadas para a rápida detecção de fraudes e para a gestão de crises de imagem, por exemplo. As ferramentas que permitem isso, porém, apesar de sua importância, dificilmente entregam os resultados esperados caso os dados analisados tenham pouca qualidade. A fim de efetivamente processar e monetizar a informação, organizações requerem dados que estejam em dia, além de serem precisos e confiáveis.

 

Os problemas ficam mais evidentes quando essas ferramentas demandam muitos dados de clientes e lidam com um fluxo de informações incompleto, mal formatado e pouco preciso. As tecnologias irão entregar resultados que refletem essas inconsistências. Se a organização não entende seus consumidores e não se atenta para as informações que detém, relatórios que pouco dizem algo e que dificilmente vão encaminhá-la para alguma tomada inteligente de decisão são apenas uma consequência lógica. Uma solução recorrente é direcionar o esforço humano para que todos os bancos sejam conferidos manualmente e logo sejam realizadas as correções necessárias. No fim, isso só desvia o tempo e o dinheiro que poderiam ser investidos em outras tarefas mais urgentes.

Um passo de cada vez

Felizmente, não precisamos exagerar tanto em se tratando do gerenciamento de dados. Não são poucos os projetos que só saem do lugar e se mostram como soluções efetivas e inovadoras porque tiveram uma liderança capaz de traçar objetivos claros e de implementar práticas internas de governança da informação.

Gerar valor só é possível quando empresas conseguem extrair informações significativas de dados qualificados. Para alcançar isso, sugerimos que você comece do zero, definindo quais necessidades poderão ser solucionadas com o emprego de dados. Que tipos de relatório você quer produzir? Quais processos podem ser agilizados? Uma avaliação da maturidade de seus processos — isto é, do quão consistentes e organizados eles estão — permite que um negócio saiba a verdadeira dimensão de seus desafios.

Dessa forma, práticas apropriadas de gestão e governança de dados são pensadas e implementadas para resolver problemas estruturais de dados. Isso cria uma solução duradoura de apoio às decisões da própria empresa. Antes de querer inovar e resolver o que há de errado com um determinado mercado, deve-se olhar para dentro e direcionar os esforços de inteligência para o próprio ambiente do qual você faz parte.

Exercendo maior controle sobre seus dados

Portanto, destacamos o que entendemos como as etapas que devem ser seguidas com clareza por empresas que querem inovar para que suas estratégias guiadas por dados sejam bem-sucedidas e tenham começo, meio e fim bem definidos. São elas:

  • O desenho de objetivos claros a serem seguidos

Batemos nessa tecla novamente, mas não podemos subestimar a importância desse passo, uma vez que muitas empresas se perdem e se apressam para etapas consideradas mais práticas. Não deixe que os dados à sua disposição direcionem sua atuação, mas esclareça qual papel eles vão desempenhar na resolução de seus problemas.

  • A execução de análises constantes de seu fluxo de dados

As análises de fluxo de dados são capazes de revelar fontes pouco seguras e precisas, permitindo que a raiz de questões estruturais ou de qualidade seja facilmente identificada. Aqui, a criação de alertas e notificações internos se faz indispensável para que nada seja perdido ou minimamente comprometido, de modo a corrigir o problema o mais rápido possível.

  • A implementação da governança da informação

Práticas de higienização, avaliação de qualidade e habilidades de gerenciamento permitem que você exerça maior controle sobre suas bases de dados. Isso quebra a continuidade de velhos hábitos corporativos que tendem ao isolamento de informações cruciais e permite que dados sensíveis sejam analisados e trabalhados lado a lado.

  • A checagem dos resultados das suas soluções de inovação com dados

Nunca dê seu trabalho por completo. Mesmo depois de implementada, sempre confira e pense em melhorias que possam ser acrescentadas à sua solução. Reconhecer a necessidade e garantir atualizações constantes, atendendo a novas demandas, é uma das chaves para o seu sucesso.

A realidade do mercado de hoje é inegável: a importância de dados só cresce há anos e não mostra sinais de que vai desacelerar, mas isso não significa que haja motivo para se apressar. Ao invés de irem direto para a solução de problemas, empresas precisam investir em práticas de governança, proteção e qualidade de suas bases. Não basta apenas ter os dados, deve-se geri-los.

 

Sendo uma startup de Ciência de Dados, o senso de inovação nunca deixou de guiar a Twist. Como organização, sempre quisemos entregar e pensar nas melhores soluções para que empresas dos mais diversos setores encontrassem modos diferentes de lidar com suas dores e problemas, tomando decisões mais bem embasadas, mais agilmente e com menor risco

Aqui, prezamos muito pela qualidade dos dados e a reconhecemos como o primeiro passo para qualquer estratégia eficiente envolvendo dados. Para saber mais do que podemos fazer pela sua empresa, fale conosco! Para mais conteúdos sobre inovação, continue acompanhando nosso blog e assine nossa newsletter quinzenal.

Se inscreva na nossa newsletter